São Bernardo do Campo: ABCD recolhe dois veículos abandonados a cada dia

O ABCD recolhe ao menos dois veículos abandonados nas ruas por dia. Os dados são referentes a quatro cidades. Campeã em recolhimentos na Região, Santo André registra, em média, 30 casos por mês. A cidade de São Bernardo vem em seguida, com 18 carros levados à Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) e encaminhados para o pátio da Polícia Civil todos os meses. No mesmo período, a cidade de Diadema e São Caetano registram média de cinco e quatro casos, respectivamente.

Procuradas, as prefeituras Municipal de Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra não responderam sobre a questão à reportagem. Muitos dos veículos abandonados estão em péssimo estado de conservação e oferecem risco à saúde da população, transformando-se em esconderijos de ratos, insetos e até para o mosquito da dengue.

No caso de Santo André, apenas 5% dos veículos recolhidos são recuperados pelos proprietários. Para recuperar o automóvel é necessário levar a Guia de Recolha ao 23º Ciretran (avenida Industrial, 1.850, Bairro Campestre) e providenciar junto ao órgão a liberação do carro.

Em seguida, é preciso ir ao Departamento de Segurança de Trânsito (rua Ilhéus, 61), para retirar guia para pagamento dos serviços de recolhimento, como guincho, estadia e taxa de apreensão. Após o pagamento, o automóvel pode ser retirado em um dos pátios do município (rua Dom Jorge Marcos de Oliveira, 151, Vila Guiomar, e avenida Cândido Camargo, 341, no Jardim Ana Maria).

Em São Bernardo, os veículos recolhidos podem ter dois destinos: os emplacados são recolhidos para o pátio municipal e os demais, com pendências judiciais, para o pátio da Polícia Civil. Para que os veículos voltem aos proprietários é preciso que toda a documentação esteja em ordem, ou seja, com os pagamentos das taxas como IPVA, licenciamento, multas, estadias e Termo de Liberação pela Seção de Fiscalização.

Em Diadema e São Caetano, os trâmites para que os proprietários tenham seu veículo de volta seguem o mesmo padrão. Em Diadema, os veículos apreendidos vão para o pátio de permissionária no Interior. São Caetano alertou que quase nenhum dos carros recolhidos volta para seu dono original. Lá, os veículos permanecem no pátio por até seis meses, antes de serem leiloados pela Justiça. Nas demais cidades, o prazo para ir a leilão é de 90 dias.

Frota





O ABCD possui uma frota total de quase 1,5 milhão de veículos, de acordo com levantamento do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), referentes ao mês de julho deste ano. A cidade com maior número de veículos emplacados é São Bernardo, com 496 mil. Santo André registra 457 mil, seguida por Mauá (169 mil), Diadema (162 mil), São Caetano (129 mil), Ribeirão Pires (66 mil) e Rio Grande da Serra (13 mil).

Pátios municipais estão completamente lotados

A maioria dos pátios de recolhimento de veículos encontra-se lotada. Em Santo André, os pátios dispõem de espaço para 3.000 carros. Hoje, 3.700 automóveis estão estacionados nos depósitos municipais. O Departamento de Segurança de Trânsito informou que estuda projetos para ampliar a capacidade de estacionamento dos pátios que recebem veículos recolhidos nas ruas da cidade.

São Caetano enfrenta o mesmo problema. O pátio (avenida do Estado, 4.130, Bairro Prosperidade) opera com a capacidade máxima de 500 veículos. De acordo com a Prefeitura, por enquanto não existe projeto para ampliar o espaço, já que atende a demanda atual da cidade. No entanto, a dificuldade é agilizar os processos para a liberação dos veículos para o leilão. O próximo leilão será em 13 de setembro. Grande parte dos veículos está aguardando processo judicial.

O único pátio que não está lotado é o de São Bernardo, localizado na estrada dos Casa, 4.857, Bairro Alvarenga. Possui capacidade para até 2.500 veículos apreendidos.

Fonte: ABCD Maior

São Bernardo do Campo: ABCD recolhe dois veículos abandonados a cada dia
Avalie!




Deixe seu comentário